• Andrey Sommavilla

Lombalgias: Como funciona o pensamento Osteopático

Atualizado: Jan 16



Muitos fatores podem ser causadores de dores na coluna lombar que tanto incomodam as pessoas. As dores lombares estão entre as queixas mais comuns em adultos que procuram os serviços médicos. Cerca de 80% da população, em algum momento de sua vida, já apresentou ou ainda apresentará episódio de dor lombar.


Por isso vou expor como funciona o pensamento osteopático em relação a essas lombalgias e de onde as dores lombares podem surgir.

Vértebras lombares:

- As vértebras lombares são responsáveis pela inervação de todas as estruturas da região abdominal, lombar e membros inferiores (ossos, músculos, vasos e vísceras).

- Problemas discais como hérnias discais podem causar compressões neurológicas e causar dores locais que irradiam para o membro inferior.

- Artrose e osteofitose também podem causar as mesmas dores da radiculopatia das hérnias discais.

Músculos:

- Músculos importantes para a região lombar (multífidos, paravertebrais, piriforme, diafragma, quadrado lombar e psoas). Possibilitam a relação das vértebras lombares aos ossos da pelve (sacro e ilíaco), membros inferiores, últimas costelas.

- Importância do psoas na inervação dos membros inferiores, pois o plexo lombar antes de chegar às pernas transpassa a musculatura, então desequilíbrios musculares podem causar problemas neurológicos.

Nervos:

- As dores podem ser causadas por tensões musculares que irritam os nervos (psoas), hérnias discais com compressão neurológica, degenerações articulares que podem causar lesões neurológicas.

Ligamentos:

- Tensões ligamentares podem gerar dor na região lombar.

- Importante ressaltar os ligamentos iliolombares: superior com fixações em L4 e crista ilíaca e inferior, com fixações em L5 e articulação sacroilíaca.

Articulação Sacroilíaca:

- A última vértebra lombar se articula com o sacro, problemas sacrais se repercutem na lombar e vice-versa.

- Existem músculos e ligamentos importantes que ligam o sacro com a lombar

- Relação do sacro com ao osso ilíaco que se articula diretamente com a coxo-femoral. Problemas nos membros inferiores podem chegar até as regiões lombares. - Piriforme, ele é responsável pela síndrome do piriforme, onde a sua tensão comprime o nervo ciático causando dores no membro inferior, confundindo com as ciáticas verdadeiras.

Crânio e cervical superior:

- Disfunções cranianas e de cervical alta podem gerar tensões na dura-máter, essas tensões podem chegar até a sacro-ilíaca levando a dores lombares.

Membros inferiores:

- Traumas e disfunções em membros inferiores podem gerar uma cadeia ascendente, fazendo disfunções na sacro-ilíaca e consequentes lombalgias.

Últimas costelas:

- Os nervos que saem dessa região são responsáveis pela sensibilidade lombar. (T12, L1)

- SNA (vascularização dos membros inferiores.

- Inserem-se músculos que chegam até a pelve e passam por toda região lombar como é o caso do quadrado lombar, psoas.

Diafragma:

- A inserção distal localiza-se nas últimas 3 costelas, processo xifóide, e vértebras lombares até a L3.

Problemas digestivos:

- O Fígado em especial pode causar dores lombares pela relação vascular com o intestino e todas as vísceras abdominais (veia porta que capta o sangue visceral)

- Problemas hepáticos alteram a vascularização abdominal causando dores lombares pois diversas vísceras são inervadas pela região lombar (plexo lombar).

Problemas intestinais:

- Inervado pelos nervos da região lombar (simpático – gânglio mesentérico inferior e parassimpático – vagal e sacral).

Problemas vasculares:

- A região lombar é vascularizada pela artéria aorta abdominal, artérias ilíacas, veia cava inferior e veias ilíacas.

- Problemas vasculares podem causar dores diretas na coluna lombar ou irradiadas decorrente de disfunções viscerais.

- A diminuição da nutrição tecidual, acaba gerando processos isquêmicos em várias estruturas, incluindo ósseas, musculares e viscerais.

Problemas uroginecológicos:

- Bexiga, útero e próstata, são inervados pela região lombar (gânglio mesentérico inferior e hipogástrico – L1-L5 e plexo sacral - parassimpático).

- Infecções na bexiga, problemas prostáticos e nos períodos pré-menstruais, geram dores lombares.

- Tensões na Lamina sacro-reto-gênito-vesico-púbica também podem gerar lombalgias.

Problemas renais:

- Os rins são inervados pelo gânglio aórtico renal ou intermesentérico, localizado na região de T11-T12. Essa região é importante pois emerge a inervação dos dermátomos lombares.

- Disfunções renais causam espasmo do psoas que está localizado inferiormente aos rins, a vascularização pode ser alterada e desenvolver dor lombar.

Fatores psicossomáticos:

- Fatores emocionais, estresse, ansiedade, má qualidade de sono e alguns medos e crenças negativas também podem ser fatores desencadeantes de dores nas costas.

#osteopatia #dor #lombalgia #dorlombar #saude

31 visualizações