• Andrey Sommavilla

Entorse de tornozelo

Atualizado: Jan 16



Entorse é um movimento brusco, violento e rápido. Acontece com estiramento ou com ruptura dos ligamentos de uma articulação, podendo acometer essa articulação e levar a complicações, com vários graus de limitação funcional.

Os ligamentos são constituídos de tecido conjuntivo, os quais possuem a função de unir dois ou mais ossos estabilizando e protegendo as articulações do corpo. Além disso, os ligamentos transmitem informações para medula e para o cérebro.

Tipos de entorse de tornozelo:

A entorse em tornozelo se divide em dois tipos: entorse em eversão que é pouco comum e em inversão que é a que trataremos aqui. A entorse em inversão é o mecanismo lesional mais comum do tornozelo. O mecanismo traumático ocorre em inversão e flexão plantar, ou seja, uma torção do pé para dentro, podendo ocorrer lesão ligamentar com frequência e em casos mais severos até fratura.

Divide-se em 3 graus de lesão:

Grau 1 – De pouca gravidade, acomete somente o estiramento ligamentar. Promove uma mínima incapacidade funcional. Pode haver alguma dor, e/ou inchaço

Grau 2 – De moderada gravidade, acontece uma ruptura parcial dos ligamentos causando a instabilidade articular. Acompanha dor, edema e rigidez articular. Normalmente há dificuldade da marcha com o apoio no calcanhar e nos artelhos.

Grau 3 – De severa gravidade, acontece uma ruptura total do ligamento e grande instabilidade articular (falta de “firmeza” ao andar). Incapacidade funcional, com perda de ADM (amplitude de movimento) e perda completa de sustentar o peso. Outras características desse grau é a hipersensibilidade na palpação e dor evidente.

Visão Osteopática:

Com a torção do tornozelo, pode ocorrer a compressão do tálus com a tíbia, o tálus se anterioriza e roda internamente, ocorre a queda do osso cuboide e do navicular, um varo de calcâneo, posterioridade da cabeça da fíbula, tensão nos músculos isquiotibiais, a posterioridade do osso ilíaco e tensão nas vértebras lombares e até mesmo das cervicais. Este mecanismo poderá provocar inúmeras adaptações biomecânicas ao longo do corpo que poderão ser avaliadas e, se necessário, corrigidas pela ação de um Osteopata.

O tornozelo é uma grande articulação, que gera a mobilidade entre o pé e o resto da perna. As disfunções de tornozelo podem levar a disfunções ascendentes, primeiramente nos membros inferiores e quando não corrigidas se adaptam nos ilíacos, sacro e toda a coluna levando a dores e disfunções nessas regiões.


#tornozelo #entorse #dor #osteopatia #fisioterapia

90 visualizações